Número total de visualizações de página

17/07/11

The game


Dei-te tudo o que havia para dar, mas acabou.
E se antes não entendia, hoje entendo. Eu entendo e sei quem sou, e orgulho-me tanto de nunca ter baixado os braços ao longo da minda vida. De nunca ter ouvido quem me quis destruir.
Agora tu és joguete nas mãos de quem menos esperas. Manipulam-te e usam-te como querem. Tiraram-te a única coisa que te destinguia de todos os outros, a tua inocência.
Acabaram com a única coisa que te tornava um humano incrível, a tua capacidade de amar.
Eu vou-me embora, vou empacotar as minhas coisas e partir para um sitio diferente. É um adeus, não um até já. Julguei-te um homem, mas no final do dia, continuas um miúdo que não sabe o que quer, que não sabe cuidar do que tem.
Vou-me embora, vou virar costas porque já não há nada aqui para mim.
Talvez começar de novo noutro lugar, me traga quem sabe aquilo que aqui nunca atingi.
Um dia vais olhar para trás e lamentar as tuas acções, mas nesse dia - tal como hoje - vai ser tarde demais para remediar o que está quebrado.
Nem toda a gente é substituível, e eu sou uma dessas pessoas.

2 comentários:

Anónimo disse...

És insubstituível concordo...!

SofiaBasto disse...

Eu também ;D