Número total de visualizações de página

31/08/10

To be, or not to be?

Talvez um dia a maioria dos homens deixe de agir como homens das cavernas.
Deixem de achar que as mulheres são aquisições, ou jóias de colecção.
Deixem de achar que as mulheres servem para servir, quando elas existem para serem servidas.
Deixem de achar que o nosso cérebro é menos funcional que o vosso, quando somos nós uma máquina capaz de executar tarefas múltiplas.
Deixem de crucificar o espírito e maltratar o templo que é o corpo das mulheres.
Deixem de nos usar e desusar como se fossemos um adereço banal.
Talvez um dia, a maioria dos homens entenda que a mulher é divinal, e o seu corpo não peca sozinho.
Quiçá um dia, os homens coleccionem aventuras prazenteiras, em vez do prazer de aventureiras.
Porventura um dia, os homens enxerguem as mulheres como obras da natureza, em vez de as verem como um troféu de lata.
Possivelmente, o homem um dia verá a mulher como uma deusa, contudo isso só acontecerá quando a mulher começar a agir como tal.
Quando, um dia, a maioria das mulheres deixar de usar uma etiqueta de “consumo fácil” na cabeça, os homens deixarão de tratar a pluralidade das mulheres, como uma via de fácil acesso.

25/08/10

A shot at love

Sabes o que um dia te vai acontecer?
Vais perceber que as pessoas que mais amas não têm de ficar só porque tu sabes as amas; elas ficam quando sabem que tu as amas.
Vais perceber que as pessoas não esquecem as tuas palavras apenas porque pedes desculpa, elas esquecem quando as abraças.
Vais perceber que as pessoas que te são insubstítuíveis não estão na tua vida por acaso; elas estão porque Deus te deu uma chance de amar e ser amado.

23/08/10

Fez-se luz.

"Não encontre um defeito, encontre uma solução"
Henry Ford.

É mais fácil questionar do que arranjar respostas; é mais fácil por em causa do que acreditar; é mais fácil desistir do que lutar; é mais fácil criticar do que procurar entender; é mais fácil ver defeitos do que enxergar soluções.
Mas a vida não é feita para ser fácil, e quem ainda não alcançou essa crua realidade, não tem como sobreviver nesta luta de titãs.

20/08/10

3,2,1, ACÇÃO!






É por todos os takes que tenhamos de repetir neste filme das nossas vidas, que tenho cada vez mais a certeza (assim como hoje mais que nunca, tenho também cada vez mais a tua certeza) que a única coisa que nos pode passar ao lado, é o vento, mas nunca o nosso amor.
Talvez para quem nunca viveu o amor sofrego, o amor desmedido como o nosso, será de impossivel entendimento como é que nos conseguimos amar tanto depois de tanto tempo, como é que ainda conseguimos resolver tudo sem deixar nada para trás...Talvez a esses olhos não seja visivel a existência de um amor puro.
Quando este amor existe, não existe um caminho com desvios ou cruzamentos; existe apenas um percurso recto para ser palmilhado a dois.
É assim, que percorrendo um caminho paralelo aos desejos de cada um de nós, - caminho esse, por vezes, conturbado - entrelaçamos  os dedos casando as nossas mãos, e juntos marchamos em direcção à vida eterna.
Não há lugar para desistentes no "jogo do amor"; ou te rendes às armas do amor e te tornas um vencedor, ou deixas que as tuas armas esquartejem o coração e te tornas num vencido.
Há muitas batalhas na vida que vale a pena vencermos, mas no amor, mais vale a pena hastearmos a bandeira branca; ou em vez de um coração que cospe sangue e vida através de nós, teremos uma bomba-relógio que bombeará um veneno solitário até todos os recantos do nosso corpo, e não seremos mais vivos, mas sim pedaços de gente que deambula pelas ruas frias, sem alma, nem coração.


P.S. amo-te todos os dias, e agradeço a Deus o dia que ele teve a feliz ideia de nos traçar o destino colinearmente.

19/08/10

Dolce amore

"Acordei cheio de pensamentos por ti. O teu retrato e a noite escaldante que passamos ontem deixaram os meus sentidos em turbulência. Doce e incomparável, que efeito produz no meu coração! Estás magoada? Estás triste? Estás preocupada? A minha alma arde de tristeza e não posso sentir paz dentro de mim; mas há muito mais, porque inspirado nos sentimentos profundos que me preenchem, eu desenhei através dos teus lábios e do teu coração um amor que me consome em chamas.

(...)
Até lá, " mio dolce amore", um milhão de beijos.
Não me devolvas nenhum, porque eles incendeiam o meu coração".
(Carta escrita por Napoleão Bonaparte a Josephine de Beauharnais).


Sabes que mais meu querido? Também tu incendeias o meu coração.

18/08/10

Mão de Deus

"Achar que o Mundo não tem um criador, é a mesma coisa que afirmar que um dicionário é o resultado de uma explosão numa topografia."
Thomas Edison.


Talvez eu própria não dissesse melhor, mas infelizmente é mais fácil acreditar naquilo que os olhos vêem, do que naquilo que a fé concebe.
A Bíblia é em parte uma metáfora, talvez os menos entendidos não o consigam perceber; mas é muito mais fácil fechar os olhos e ser o cego que não quer ver.
Adão e Eva não existiram de certo, mas o Homem não tinha como a sua existência provar, por isso não será muito difícil de entender que naqueles tempos, em que as televisões que enfeitam todas as casas não existiam; que a música não era portátil; e que o fogo era o “cozinheiro”, não havia outra forma de explicar como o Homem existiu. Da mesma forma, a cobra não falou decerto com Eva, a cobra é a metaforização das tentações que o Homem enfrenta no dia-a-dia.
Hoje sabemos que a Terra provém da explosão de um átomo primordial que deu origem aquilo que hoje é mais frequentemente conhecido como Big Bang. Mas o que deu origem a esse átomo primordial?Jamais será possível ao Homem negar a existência de Deus, baseando-se apenas numa interpretação pobre da Bíblia e como esta não se aplica, tendo-se já verificado o processo evolutivo do Homem ao longo dos séculos.
Da mesma forma que antigamente a esquizofrenia era encarada como uma possessão demoníaca, hoje é encarada de forma clarividente como um distúrbio mental. Contudo, apenas porque o Homem conseguiu descobrir que a esquizofrenia é uma perturbação da mente, não provou que os demónios não existem.
Não será então falta de sapiência afirmar que só porque a ciência provou que o Homem é a consequência de um gradiente evolutivo, que Deus não existe? Só porque a ciência evolui a religião não tem de ser abatida.
Aliás, a única coisa que deveria ser abatida era colossal enfermidade do Homem que julga saber tudo, o Homem que não passa de um pontinho no Universo. O problema do Homem é que se deixa crer que a realidade está naquilo que os olhos enxergam, quando a realidade acontece quer os olhos vejam ou não.



Se perguntares a alguém sobre o manual para a imortalidade, ninguém te saberá responder, o mais engraçado é que quase toda a gente possui um exemplar em casa.

17/08/10

Headshot.

 
Só há uma forma de pôr as coisas, quando os momentos nos passam ao lado, passam mesmo, e não há como voltar atrás.
Quando não se dá valor à areia que se acumula na praia do nosso coração, ela acaba por esvoaçar ao sabor do vento, e quando tiramos os olhos do oceano e olhamos para os nossos pés, já não há areia para nos segurar; e mesmo que tentemos apanhar os restinhos de areia que sobram, ela  escapar-se-à por entre os dedos.
Talvez isto seja uma metáfora bem complexa e melindrosa; mas a realidade explica-se por palavras mais simples: quando as pessoas focam a atenção em si mesmas, deixam pouco espaço para os outros. Contudo nenhum oceano, é completo sem areia como fundação. Nenhuma praia se constrói sem areia, ou só com oceano.
Já fui areia em muitas praias, e só um oceano conheci.
O que pensas que são lágrimas? É quando há falta de areia no coração das pessoas, sobrando apenas espaço para o imenso oceano, imensa solidão...então o oceano começa a fugir-nos pelos olhos.
Mas queres que te diga um segredo?
Nem todos os ventos trazem de volta o que outrora levaram, e muitas vezes, é aí que o oceano seca, e...PUUM! Estás morto por dentro.

16/08/10

Flower "party"

"Quem pisa pétalas e planta espinhos corre o risco de escorregar nas pétalas que amassou, e cair sentado nos espinhos que plantou".

Karma is a bitch.

12/08/10

Auf Wiedersehen

-->
Foste um pilar na minha vida, construíste uma amizade vincada e repleta de laços inesquecíveis. Mas por agora, digo-te adeus. Estou demasiado crescida para me aborrecer com precocidades de quem ainda não conhece a vida. Julgava-te mais adulta, mais minha amiga, no fundo julgava-te mais….minha; mas pelos vistos enganei-me redondamente. Tornaste-te num reflexo de quem mais repugnas e por isso causas-me asco.
Já não és recta nos teus juízos, e muito menos nas tuas vivências; não sei quem és, porque tu própria já não o sabes. Perdeste-te no meio da tenebrosa singeleza, e isso à primeira vista não teria qualquer problema; contudo, tornaste-te elementar por não seres diferente de ninguém, e isso já não te torna especial, já não te torna digna de mim.
Deixaste-te levar por futilidades e caís-te no caminho sem retorno; quanto a mim…estou demasiado cansada de correr sem alcançar nenhuma meta. Estou demasiado cansada de correr por quem não prospera. Deixaste de valer a pena quando te achaste grandiosa demais para lutar pelas grandes pequenas coisas da vida, e isso tornou-te banal.
Aqui levas a lição de vida de uma pessoa que apesar de ter a tua idade, já lutou bem mais batalhas que tu: luta com todos os membros do teu corpo, e quando tos arrancarem na disputa, usa a tua perspicácia e vence as tuas metas por ti própria. Não deixes que as metas marchem até ti, porque em nada te sentirás saciada, se mastigarem a comida por ti.
Nem tudo que é novo é melhor, pode ser bom, mas que isso não te sirva como uma garantia.
E por fim, digo-te que cada um vive com as escolhas que faz e com as consequências que elas trazem; e por muito exactas que agora as tuas opções te pareçam, um dia no futuro tudo te parecerá discrepante. Nesse dia hás-de me procurar e se eu ainda me lembrar de quem tu és, faláramos.